O Primeiro Corretor de Imóveis do Brasil



Anúncio Imobiliário publicado no Estado de S. Paulo em 1875

Foi apenas com a transferência da família real para o Brasil, no princípio do século XIX, em 1807, segundo o livro Seleta do Agenciador Imobiliário, que o desenvolvimento urbano tornou-se uma realidade no pais, permitindo o aparecimento dos primeiros corretores.

A capital, o Rio de Janeiro era um pequeno burgo de ruas estreitas, cobertas de mato e iluminadas a candieiro de óleo de baleia. Quando a corte portugues chegou, fugindo de Napoleão viu que não havia moradia para todos.

Foi D. João, então, Príncipe-Regente que mandou confiscar casas dos habitantes da cidade, londe manadava pintar as letras maiúsculas 'PR' (Príncipe Real), que a população traduziu como 'Ponha-se na Rua', ou 'Prédio Roubado'.

Com a revolta dos moradores ganhando corpo, muitos dos portugueses que chegavam, se recusaram a receber as casas confiscadas oferecendo indenização pelos bens. Queriam pagar pelo imóvel . Foi então que surgiu um cidadão para intermediar as negociações. Seu nome era Antonio Armando Mariano de Arantes Costa, o primeiro corretor de imóveis do Brasil.
A partir de 1821, junto com chegada do primeiro jornal, vieram os anúncios classificados. O Diário do Rio de Janeiro, o periódico mais antigo nos arquivos da Biblioteca Nacional, publicado no dia 2 de junho de 1821, já continha um anúncio imobiliário. Na edição seguinte, 4 de junho de 1821, constatava-se a presença de um intermediário, Venâncio José Lisboa, que havia recebido "poderes" do dono do imóvel para vendê-lo, confirmando a atuação dos corretores de imóveis já naquela época.

Leia mais aqui

Fonte: Cofeci e MarketingImob

Comentários

Anônimo disse…
Primeiro corvo