Urbanismo : Explosão imobiliária atrapalha ventos em Brasília

Além dos carros, o vento terá dificuldade para circular em Águas Claras nos próximos anos. Quando todos os prédios de uma das regiões administrativas mais povoadas do Distrito Federal estiverem prontos, impedirão a passagem do ar, criando uma ilha de calor. O fenômeno foi previsto na dissertação de mestrado da analista de infraestrutura Andiara Campanhoni, 27 anos. Em um programa de computador, ela recriou as quadras 203, 204 e parte da Avenida Araucárias com todas as construções prontas, e chegou a uma conclusão preocupante. A pouca distância entre os edifícios e a falta de áreas verdes provocam um desconforto térmico para quem circula na região.

Nas áreas mais críticas, ou seja, onde há pouco afastamento entre os edifícios, Andiara explicou que a temperatura varia entre 28º C e 33º C durante o ano. Isso representa até 5º C a mais do que nas áreas com maior ventilação, segundo o estudo da arquiteta. No trabalho, ela indica que a distância confortável entre os prédios deve ser de, pelo menos, 10m; caso contrário, pode haver desconforto térmico. “Em alguns locais, como nas construções próximas às avenidas, a distância é de 5m”, alertou. Com a proximidade atual, muitos moradores também reclamam da falta de privacidade dentro de casa

Leia mais

Comentários