Mercado. Índice indica que queda em preços dos imóveis pode chegar a 23%

disseminada crise econômica que assola o país finalmente engolfou o setor imobiliário. A equipe de economistas do FipeZAP, coordenada por Eduardo Zylberstajn, prevê, pela primeira vez, queda nominal dos preços dos imóveis nas principais cidades brasileiras nos próximos meses e calcula que o ajuste justo seria de 23% em relação ao preço do aluguel. No atual ambiente econômico, os preços dos imóveis – que subiram forte até 2013, tiveram um reajuste em linha com a inflação em 2014 e devem subir menos que o IPCA neste ano – agora tendem a começar a ter queda nominal.

Os números atuais já apontam um cenário ruim para os proprietários de imóveis. Segundo o índice FipeZAP, os preços subiram 1,5% nos sete primeiros meses deste ano, contra uma inflação de quase 7% no período.


Ou seja, houve uma queda real de mais de 5% no preço dos imóveis em 2015 até agora. Com o aumento do desemprego e a retração do crédito, a situação tende a piorar nos próximos meses. O FipeZAP acredita que as restrições criadas pela Caixa Econômica.a partir de maio – para imóveis usados, o banco agora só financia no máximo 50% do valor da propriedade – ainda não estão refletidas nos preços. 

Comentários