TOMBAMENTO. Limitação legal não impede subida de IPTU e compromete conservação.

Paulo Goya, 63, tem uma conta a fazer. Em oito anos de funcionamento, o Casarão do Belvedere consumiu R$ 700 mil entre reformas e manutenção. Fechado há um ano, R$ 500 mil são necessários para a troca completa do telhado que ameaça cair. Para o IPTU, ele precisa reservar outros R$ 30 mil por ano.
Precisava. Porque, para seu desespero, essa conta vai subir. Tombado pelo patrimônio histórico municipal, o imóvel da família do ator, de 1927, fica em uma das áreas mais valorizadas para o cálculo do reajuste do imposto.


Na última quarta-feira (26), o Tribunal de Justiça liberou a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) para aplicar aumentos no IPTU.
De acordo com anúncio feito pela prefeitura, os percentuais de aumento terão tetos de 15% para imóveis residenciais e de 30% para imóveis comerciais.
Na Bela Vista, bairro da região central da cidade, o aumento médio do IPTU em 2015 será de 12,1%. Caso o cálculo do reajuste seja feito exatamente com esse percentual, lá se vão outros R$ 3.630.

Leia mais aqui 

Comentários