MERCADO. A corrida pelo sobrado próprio faz o sonho de compradores e a festa de construtoras.


Seja nos bairros mais valorizados, custando pequenas fortunas, seja em bairros mais populares, o sonho de morar em um sobrado tem feito a festa de muitas construtoras e de muitos clientes, que não se incomodam em dividir a parede com o vizinho para morar em regiões centrais e realizar um sonho.

Enquanto as regiões mais centrais e valorizadas de São Paulo veem surgir alguns poucos e, em geral, sofisticados condomínios horizontais, é na zona leste que o desejo de morar em casa ganha forma.
Uma leva de novos sobrados de rua ou em condomínios de médio porte, com foco em famílias pequenas, sustenta a oferta por lá.

De janeiro de 2010 a agosto deste ano, mais de 3.000 empreendimentos residenciais horizontais foram lançados nessa região, segundo a Geoimovel Inteligência de Mercado. O volume corresponde a 58% de todos os horizontais novos na cidade.

"Os residenciais horizontais de até R$ 400 mil tiveram um bom giro nesse período e 14% estão em estoque", diz Celso Amaral, diretor da Geoimovel e da Amaral d'Avila Engenharia de Avaliações.

O executivo Paulo Lima mora com a mulher e dois cães de estimação há sete meses em um sobrado na Vila Matilde (zona leste). O espaço foi decisivo, segundo ele.

"Decidi mudar de um apartamento, também próprio, para uma casa no mesmo bairro, devido à melhor distribuição da planta e à maior ventilação nos dormitórios."

Leia mais aqui
Leia 

Comentários