Urbanismo : Colômbia leiloa terrenos vazios usado para especulação imobiliária

A retenção de terrenos para especulação em Bogotá virou negócio de risco. Desde 2008 a cidade vem usando um instrumento moderno e juridicamente bem assentado que obriga, em prazos relativamente curtos, a edificação em lotes situados na malha urbana da capital colombiana.
A secretária de Planejamento de Bogotá, María Mercedes Maldonado, apresentou em Quito, no Fórum Latino-Americano sobre Instrumentos Notáveis de Intervenção Urbana do Instituto Lincoln, os detalhes da chamada Declaração de Desenvolvimento e Construção Prioritária.
Usando o mecanismo, o Executivo municipal identifica terrenos que estão vazios, abandonados ou subutilizados e notifica seus proprietários. “A partir da notificação, é obrigatório começar a construir nesta área”, explica María Mercedes, “sob risco de perder o imóvel de dois a três anos mais tarde.”
Entenda mais

Comentários