Mercado Modelo de imobiliárias em rede encontra resistência no Brasil

As imobiliárias brasileiras ainda têm resistência em trabalhar num modelo de redes de negócios, mas as empresas do setor que aderiram ao esquema têm alcançado bons resultados.

Esse é um dos resultados do trabalho "A Aplicação dos Princípios de Redes de Negócios nas Empresas Imobiliárias: uma Proposta a partir de Reflexões e Exemplos de Redes Brasileiras", de Ernesto Michelangelo Giglio e José Antônio Fantin, alunos do mestrado em administração da Unip (Universidade Paulista), e do consultor imobiliário Marcos Goggi.
 
O estudo foi apresentado na 12ª Conferência Internacional da Lares (Latin American Real Estate Society), realizada na última semana em São Paulo.

A pesquisa contou o estudo de caso de três empresas: uma nacional com 150 imobiliárias, mas que não atua em rede; uma rede de imobiliárias que atua no interior do São Paulo com 15 unidades; e uma empresa em Santa Catarina que atua no modelo de redes usando franquias. Os nomes não foram revelados das empresas não foram revelados.
 
Leia mais

Comentários