Arquitetura: Metrópole vive boom de prédios iguais

Com o boom imobiliário que lançou 13.501 prédios e 733 mil apartamentos nos últimos 15 anos, São Paulo está ficando com a mesma cara. A arquitetura dos edifícios hoje se padronizou, quase todos têm o mesmo visual - depois de ir da taipa de pilão ao concreto armado, passando pelas residências operárias, pelas casas modernistas e também pelos prédios com inspirações brutalistas, São Paulo não segue mais linha nenhuma de arquitetura.

Ou melhor, segue, sim: é o que os próprios profissionais chamam de "arquitetura conformista", uma ditadura dos prédios idênticos. "O modelo dominante hoje é bastante conformista, ele reflete a preocupação constante das construtoras em agradar à maioria, assim como a rapidez com a qual as operações estão montadas por pressão financeira", diz o arquiteto Gui Sibaud, sócio do escritório Triptyque.

Leia mais

Comentários