Arquitetura: A diferente e estranha construção popular brasileira.

Objetos retirados do lixo doméstico, como velhos bibelôs, lâmpadas queimadas e cacos de cerâmica originaram esta residência, erguida em São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro. Considerada uma obra-prima da arquitetura espontânea no país, a morada foi tombada em 1986 pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.
Para enriquecer as imagens, lugares que não puderam ser visitados por Demis foram clicados pelo fotógrafo Humberto Medeiros. E as anotações do então estudante foram editadas e enriquecidas por dois pesquisadores de peso, o arquiteto gaúcho Günter Weimer e o carioca Werther Holzer.
Na arquitetura popular contemporânea, chama atenção a reutilização de resíduos das demolições e de materiais reciclados. A descoberta dos autores evidencia que, nas residências mais simples, a falta de conhecimento técnico dos moradores é compensada por soluções criativas e pelo capricho das construções.

Leia
mais

Comentários