Como será a quarta de cinzas em 2011?

O preço dos imóveis disparou em todos os países que tiveram a combinação de aumento na renda, crédito farto e escassez de oferta nas áreas mais disputadas dos grandes centros urbanos. Aquela euforia emergente de futuro brilhante adiante, que também alimenta a alta dos preços, o Brasil tem faz tempo.

A má notícia é que a temperatura vem mudando desde o ano passado. juros subindo, bancos apertam crédito quando os estoques e preços seguem nas alturas, o que não combina com períodos de desaceleração e abrem caminho para bons negócios. A valorização dos lançamentos inflaciona toda a cadeia imobiliária. Puxa preços dos terrenos e dos imóveis mais antigos, além dos custos de produtos e serviços da construção.

As construtoras se preocupam com o investidor que compra na planta pra vender com preço maior pouco antes da entrega das chaves. São pessoas que podem não ter como pagar as prestações se não venderem o imóvel. Com juros na casa de 12% ao ano, os valores financiados dobram em seis anos. Quem faz um empréstimo por 30 anos com essa taxa facilmente deverá mais, no meio do financiamento, do que valerá o imóvel, deixando o banco sem garantia.

Fonte: Folha de São Paulo

Comentários