Imóveis: Nem chegada das Olimpíadas segura queda de preços no Rio .

Os compradores de imóveis no Rio de Janeiro costumavam travar intensas guerras de apostas quando tentavam conseguir um apartamento, mesmo modesto, em um dos exclusivos bairros litorâneos da cidade. Não mais.
As construtoras na segunda cidade do Brasil estão lutando para encontrar meios de desovar apartamentos, oferecendo vantagens como pagar as taxas de condomínio durante anos, cortar as prestações em 50% e dar viagens para Nova York. Outras oferecem carros compactos e eletrodomésticos aos potenciais compradores.
Despencando de sua posição como um dos mercados imobiliários mais caros do mundo, o Rio hoje luta com seu maior excedente em décadas, levantando temores de uma quebra, enquanto dezenas de novos edifícios elegantes construídos para os Jogos Olímpicos de 2016 não atraem compradores. Para realçar o triste clima da economia local, os esqueletos de projetos de hotéis abandonados enfeiam a silhueta urbana.

Comentários