Mercado: Alphaville reduz tamanho dos lotes e pode apostar na Classe C.

A maior loteadora do país se mexe e depois de explorar o nicho da classe média, agora busca um público maior. Reduziu o tamanho dos lotes e lançou em Belém, o Terras Alphaville, dando sequência ao que já vem sendo feito em muitas regiões brasileiras. É o terceiro condomínio na capital paraense.
A movimentação e essa nova direção acontecem quando os novos controladores de Alphaville Urbanismo - os fundos Blackstone e Pátria Investimentos assumirão a empresa entre 45 a 60 dias. O mercado aposta que nada muda. No início de junho, as gestoras de private equity compraram da Gafisa 70% de Alphaville por R$ 1,4 bilhão.

A meta de Alphaville lançar entre R$ 1,4 bilhão e R$ 1,5 bilhão em 2013 está mantida, assim como a expectativa de margem bruta entre 46% e 50%, afirmou o diretor-superintendente de Alphaville, Marcelo Willer, ao jornal Valor.

O Pátria costuma ficar por dez anos ou mais nas empresas em que investe, conforme o sócio da gestora, e em Alphaville não será diferente. Após o fechamento da operação, a Gafisa passará a ter 30% da empresa.

Mais os novos donos querem ir mais longe. O próximo projeto-piloto de Alphaville será lançar empreendimentos para a classe C. No quarto trimestre, a empresa lançará um ou dois empreendimentos para o segmento, com marca ainda não definida.
Com informações do Valor Econômico

Comentários