Belém da Memória : A Bolsa de Valores que acabou virando Praça.

O local é o Ver-o-Peso e Belém ainda vivia áres de Europa, respirando a riquesa da borraca. É nessa época, provavelmente na passagem dos séculos XIX e XX, que o edificio da bolsa começou a ser construido no local.
Foi uma das primeiras Bolsas de Valores do pais, em um momento da vida nacional que a cidade se comparava, inclusive, a capital nacional, o Rio de Janeiro. Tinha sistema de transporte público eficiente, energia elétrica e área de Europa em sua aristrocracia.
 
O principal produto negociado na Bolsa era, claro, a borracha que graças a vulcanização do latex e o aparecimento da industria automobilística dariam o gás necessário para o prolongamento do ciclo.
Mas ai veio o contrabando das sementes para a Malasya e o fatidico ano de 1912, quansdo os asiaticos assumiram definitivamente o mercado com suas plantações planejadas e custos menores.

O prédio, segundo consta a história seguiu por lá até o governo Vargas, quando acabou dando espaço para a Praça do Relógio, que, pelo que parece, apesar da estrutura em ferro, não foi trazido pelos vapores ingleses no século XIX. 
Para quem pouco sabe da história urbana da cidade, restaram poucos registros históricos como estes.

Comentários