Tendências : Os ‘sem-carro entram no foco das construtoras em São Paulo

A designer mineira Deborah Grandinetti, de 23 anos, adora dirigir, mas nem sequer pensou em ter um automóvel desde que se mudou para São Paulo, no ano passado. “É um absurdo o tempo que se perde no trânsito aqui. Até brinco que motorista belo-horizontino não duraria um dia em São Paulo sem ter um colapso nervoso”, diz a jovem.
Moradora de Pinheiros, ela demora cerca de 20 minutos para chegar ao trabalho de bicicleta, embora não descarte ônibus, metrô ou táxi de acordo com o tempo disponível e o clima na cidade. “Morar próximo ao trabalho ajuda muito, mas vital mesmo é estar perto de pontos de acesso ao transporte público.”
A localização é uma das soluções encontradas pelo mercado imobiliário para seduzir potenciais consumidores como Deborah, que não querem encarar os desafios do tráfego na cidade. A incorporadora Setin, por exemplo, deve lançar em agosto um edifício de unidades compactas em frente à Praça da Republica, no Centro, servida de amplas opções de transporte coletivo.
 
Leia mais

Comentários