Futebol: Sede do Paysandu pode ir a Leilão

A notícia foi divulgada na semana que passou pela coluna do jornalista Carlos Ferreira, de O Liberal, e assustou os torcedores que só pensam em comemorar os bons resultados desse início de Série C do Paysandú, um dos clubes de maior torcida do Norte e Nordeste.

Segundo a nota, três débitos põem em risco a sede do Papão. São dívidas trabalhistas com os jorgadores Arinelson (R$ 3,7 milhões) e Jóbson (R$ 1,8 milhões) que nem chegaram a ser negocidas no prazo estabelecido pela Justiça do Trabalho. Estão atrasadas também, quatro parcelas de um acordo fechado em março de 2011 com o goleiro Alexandre Favaro (foram 40 parcelas de R$ 7,5 mil) que foi feita justamente para evitar que a sede fosse leiloada na época.

A Justiça do Trabalho já encomendou uma nova avaliação da sede da Avenida Nazaré em 18 de junho. Saindo o valor, o Leilão deve ser anunciado. Não ter pago as parcelas de Alexandre Fávaro vai dificultar tentativas de barrar esse novo pregão, segundo Carlos Ferreira.
 
Em 2008, a sede valeria R$ 6,5 milhões. Há um ano, o Paysandu encomendou nova avaliação e chegou ao surprendente número de R$ 12 milhões. Difícil será convencer os peritos do TRT desse valor. Mesmo porque no atual momento do mercado imobiliário de acomodação de preços e redução de vendas, vai ser difícil encontrar que bata o martelo. 
Mesmo porque tem outro problema. A fúria da torcida bicolor com quem comprar o patrimônio. Vai ser difícil achar quem queira correr este risco. A não ser que o preço seja muito inferior a isso. Se for pelo maior valor e não em coima de availação, o Papão poderia peder a sede.  

Comentários