Marketing : Emprestar nome de bairro vizinho tem mais efeito moral que financeiro .

Quem nunca pegou um folheto de lançamento imobiliário e se deparou com o nome de um bairro que correspondia não ao endereço do imóvel, mas às suas adjacências? Numa cidade em que o preço do metro quadrado das regiões mais nobres chega a ser três vezes maior do que o da das áreas menos valorizadas, como São Paulo, segundo o último índice apurado pela Fipe, é natural que corretores de construtoras e imobiliárias queiram estreitar ligações com a "orla" paulistana para vender unidades erguidas em limites próximos, mas menos favorecidos.

Também vale lançar mão de todos os benefícios dos bairros "A" (ou "triplo A"), tais como shoppings, parques, estações de metrô, espaços culturais, escolas, clubes, restaurantes, que se transformam em iscas na oferta do bairro "B".
Para uma das gerente de uma das grande cosntruitotras do mercado, o nome do edifício busca valorizar o que existe de mais desejável na região. Mas o ideal é que também espelhe as suas características.
"Ninguém quer morar na Vila Uberabinha", brinca um arquiteto... Leia mais

Comentários