Tendências: A hora dos suburbios

A febre imobiliária que tomou conta dos bairros nobres do Rio de Janeiro é conhecida. Os preços mais que dobraram nos últimos quatro anos. No Leblon, o metro quadrado de apartamentos de altíssimo padrão chega a custar 50 000 reais, mais do que se paga em Londres, uma das cidades mais caras do mundo.

Agora, os subúrbios cariocas começam a viver sua fase de euforia, e a zona norte é o exemplo mais visível dessa mudança. Mais lembrada, no passado, pelas favelas e pelos galpões abandonados de fábricas fechadas nos anos 80 e 90, a região passou a ser disputada pelas incorporadoras.

Há cerca de 40 empreendimentos residenciais e comerciais sendo erguidos em bairros como São Cristóvão, Tijuca e Méier — a maioria deles de médio e alto padrão. “A região está se transformando e virou destino quase obrigatório das construtoras que querem lançar imóveis para as classes média e alta”, afirma Luigi Gaino Martins, diretor da imobiliária Lopes no Rio.

Leia mais

Comentários