Mercado: Onde os imóveis seguem custando fortunas.

No segundo menor país do planeta, encrustado no sudeste da França, nem a desvalorização de 10% ocorrida nos preços dos imóveis residenciais em 2011 foi suficiente para tirar-lhe o primeiro lugar. Os 2 milhões de metros quadrados que compõem o minúsculo principado são os mais caros do mundo, custando 58.300 dólares cada um.

Isso significa que na terra dos cassinos e da Fórmula 1, a quantia de 1.000.000 de dólares compra apenas 17 metros quadrados, menos do que uma quitinete.
Segundo a pesquisa da Knight Frank, a desvalorização de 2011, também observada nas cidades da Riviera Francesa, é reflexo da crise na zona do euro.

Ainda assim, viver em um espaço tão exíguo, a poucos quilômetros da Côte d'Azur e da Riviera Italiana tem lá o seu preço.

Leia mais

Comentários