Amor Eterno Amor: Será que o Pará está aproveitando a exposição nacional?

Um dia já fora a zona do Cacau de Jorge Amado. Em outro, as afrodisíacas praias do Ceará. Desta feita, uma nova novela Global expõe nacionalmente a Ilha do Marajó, a quase exótica Alter do Chão e cenas urbanas da capital Belém.
Um tratamento muito diferente de uma visão secular da mídia sobre a região, sempre linkada em questões ambientais, de conflito de terras, de agressões a cultura indígena. desta feita, o Pará é mostrado com sua beleza cenográfica, sua urbanidade cultural papa-chibé em locações no Ver-o-Peso ou em construções históricas como o Palacete Pinho, na cidade velha.

Diferente de uma propaganda para atrair investimentos ( imobiliários ou não ), a novela é uma demarcadora de olhares sobre o estado. Cria no brasileiro, um certo desejo de conhecer, de estar lá, de descobrir e de falar sobre maravilhas até então desconhecidas.
Um ótimo momento para o mercado potencializar essa chance. O turismo ( que traria mais hotéis, transportes e tratamento mais adequado ao que espera o visitante, Atividades Econômicas, ao mostrar que estamos no mapa e mesmo imobiliário. Nunca é demais dizer que os produtos Globais acabam exportados para países da Europa, por exemplo. O Ceará se valeu disso para impulsionar seu mercado junto a Portugueses, Espanhois e Italianos.

Hoje o Europeu tem casa de férias no nordeste e alguns moram aqui e trabalham lá. Como as crises passam, não seria sonhar demais, que o Pará, fosse a próxima promessa.

Não é demais lembrar também que só a novela não faz milagre. è preciso uma ação que potencialize esse mershandising institucional. Particulares e Governos em uma ação macro, para vender que aqui é sim uma terra de oportunidades. Se ficarmos apenas fascinados, sem qualquer ação concreta, material nesse sentido, corre-se o risco de perder ( de novo ) o bonde da história.

Ainda dá tempo....

Fotos: Divulgação Globo

Comentários

Anônimo disse…
Acho pertinente a sua observação no tocante a Belém vejo que há de sua parte a preocupação em mostrar belém de forma impar e clara para os que amam a nossa querida cidade morena. (Antônio Machado)