Vivas para o visionário imperador da Nova Rio de Janeiro.

Em 1969, Lúcio Costa, a pedido do governador Negrão de Lima, desenhou um plano piloto para a expansão da Baixada de Jacarepaguá. Pouca gente, porém, acreditava que a região a beira do mar mas formada por grandes lagoas, areais e mangues pudesse ser amplamente povoada.

Mas o empresário Carlos Carvalho sim. Aos 50 anos, o engenheiro e proprietário da construtora Carvalho Hosken, começou a comprar, em 1974, terrenos na atual Barra da Tijuca.

Ao todo, adquiriu mais de 10 milhões de metros quadrados. Naquela época, pagou entre US$ 10 e US$ 15 pelo metro quadrado. Hoje, 50 anos depois, o metro quadrado do terreno custa em torno de R$ 2 mil (US$ 1.250) e pode atingir R$ 3 mil (US$ 1.870) se for de frente para o mar, na Avenida Lúcio Costa, antiga Sernambetiba.

Leia no
Valor


Hoje a construtora virou imobiliária e incorporadora, onde o grande investimento são os terrenos .

Comentários