Surpresas desagradáveis para o comprador de imóveis

Claudia Charoux, pedagoga de 31 anos, comprou um imóvel usado em Perdizes, bairro da zona oeste de São Paulo conhecido pelas ladeiras íngremes. Foi só depois da mudança que ela se deu conta do barulho que os veículos produzem ao passar por uma valeta seguida de um aclive.

"Não dá para dormir. Ou, quando estamos conversando e passa um caminhão ou carro, precisamos aumentar o tom de voz."
Para corrigir o problema (que não foi identificado antes da compra), a pedagoga teria de investir em janelas antirruídos e na refrigeração da casa - já que os vidros dessas janelas especiais são mais grossos e devem ser mantidos fechados. "Seria um gasto bem alto e, ainda assim, não terminaria totalmente com o problema", diz.
Especialistas em mercado imobiliário tomam o caso de Claudia como exemplo para reforçar a recomendação de pesquisa e conhecimento do imóvel a ser comprado para que não haja problemas no futuro. Um especiaista de confiança teria evitado o problema.

Leia mais aqui

Comentários