Governo arma estratégia para conter alta de imóveis

A idéia é monitorar a excessiva valorização dos imóveis, colocar um freio nos financiamentos com recursos carimbados, como a poupança e o FGTS.

Outra medida seria reduzir de 90% para 80% o total que pode ser financiado de um imóvel com recursos da poupança. Caso as medidas sejam adotadas, o comprador terá de dar uma contrapartida maior no fechamento dos contratos.

‘Não adianta agir depois que o problema estiver instalado’, dizem os técnicos da área econômica que ainda tem outras opções como reduzir o prazo de pagamento dos financiamentos de 30 anos para 25 anos, o que elevaria a prestação e reduziria a capacidade de pagamento, feita em cima da renda familiar de quem financia.

Leia aqui

Comentários