Novo Viaduto ( + 1 ) para desafogar Entroncamento


Um dos gargalos do crescimento imobiliário da capital é o entroncamento, onde as duas principais vias de entrada e saída da capital se encontram com a Augusto Montenegro e a BR-316.
Por causa dos engarrafamentos na área, o caos acaba ainda mais grave. Depois do primeiro projeto que levou mais de 10 anos para ficar pronto ( e incompleto, porque parte do dinheiro foi para o meio anel do Mangueirão), é a vez da prefeitura apostar suas cartas em viadutos que permitiriam o trânsito sem parada naquela região.
Podia junto, pensar a cidade, ou mesmo a região metropolitana dentro de um grande planejamento urbano. A obra resolve uma parte. Bom seria ter 3, 4 vias de saída, além da BR. Auto-pistas em direção a Santa Isabel, Benevides, Castanhal. O mercado seria valorizado, se incluiria novas grandes áreas para a construção civil e de quebra, mais qualidade para o cidadão.

Este poderia morar em Benevides, em meio ao verde, certo de que estaria no trabalho, na capital em meia hora. Fica a dica.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

10 comentários

Clique aqui para comentários
Anônimo
admin
6:22 PM ×

quem vem no sentido almirante - BR e precisar retornar pela PAC ainda vai continuar cruzando com os carros na rotatoria... ou seja uma condição insegura ainda vai continuar com este projeto!

Sds, MMartins

Responder
avatar
Anônimo
admin
6:23 PM ×

quem vem no sentido almirante - BR e precisar retornar pela PAC ainda vai continuar cruzando com os carros na rotatoria... ou seja uma condição insegura ainda vai continuar com este projeto!

Sds, MMartins

Responder
avatar
carlos freitas
admin
9:26 AM ×

Com a implantação pelo Governo do Estado da Ação Metrópole, que quando concluído será absorvido pela nova via 35% do trânsito do Entrocamento e com a implantação pela PMB desse novo projeto, com certeza vai desafogar um pouco o trânsito por lá, mas é paliativo, porque a cada dia novos carros são vendidos em Belém, inchando o trânsito em nossa Capital. Para resolver de vez esse problema, como comentou Salomão, seria, de imediato, mais uma ou duas vias de saída e entrada de Belém além da BR-316. O projeto de prolongamento da 1ª de dezembro até a Alça Viária está parado. Por que não recomeçar? Seria uma auto-pista até Marituba (Alça-Viária) onde circulariam caminhões, carretas, ônibus Interestaduais e até carros particulares. Ai sim, com esse projeto acabado e implantado, veríamos solúveis os problemas de trânsito em Belém. Carlos Augusto Freitas dos Santos. 28/09/2010.

Responder
avatar
Jehu Silveira
admin
1:42 PM ×

Muito bom o projeto com apenas dois viadutos vai ser resolvido o gargalo, entretanto além das duas pontes a prefeitura tem que proibir a abertura de novos comércios na área do complexo, pois, os compradores estacionam seus carros e haverá um grande fluxo de pessoas no local outro fator que melhoraria consideravelmente o fluxo dos veículos é a retirada da paradas de ônibus que ficam perto do complexo, apenas em Belém do Pará que coloca uma parada em cada esquina e parar ônibus na entradas e saídas do complexo limita o fluxo.

Responder
avatar
12:32 AM ×

Prezado MMartins,
O material do projeto divulgado pela Prefeitura de Belém – uma perspectiva e uma planta de fluxos – foi extraído do projeto básico, e não possui definição suficiente para que se compreenda todo o funcionamento do complexo. Nos desenhos não é possível perceber detalhes como estrutura dos elevados e os limitadores de fluxo, assim como ainda não estão lançadas as passarelas de pedestres nem as ciclovias e ciclofaixas. É pertinente, portanto, sua preocupação com o entrelaçamento de veículos já que esse é o principal problema da atual situação, e o referido material não esclarece a solução em sua totalidade.
Tentemos, então, explicar o que os desenhos não puderam. O retorno da Almirante Barroso (AB) para a Pedro Álvares Cabral (PAC), objeto específico de seu comentário, será realizado da seguinte forma: os veículos tomarão a Rodovia Augusto Montenegro (AM) no sentido de Icoaracy e farão o retorno 300m depois, à altura da Rua Álvaro Afonso, voltando pela AM para, conservando a direta, acessar a PAC.
Apesar do projeto eliminar os entrelaçamentos de veículos no Entroncamento, infelizmente não foi possível resolver todos os movimentos dentro do perímetro do complexo, ficando de fora o que agora discutimos por ser o que a contagem de fluxo efetuada apontou como de menor frequência. Ademais, além do problema de trânsito, muitas outras questões precisaram ser consideradas pelo projeto, como, por exemplo, a limitada área para a intervenção, a existência do túnel, a circunstancial impossibilidade de desapropriações e, sobretudo, a respeitosa convivência com o Monumento à Cabanagem o qual, independentemente de sua qualidade, homenageia relevante fato de nossa história e é assinado por Oscar Niemeyer, o mais importante arquiteto brasileiro.
Assim sendo, a proposta apresentada foi a que, em nosso julgamento, melhor equacionou as soluções para os problemas encontrados, diante das possibilidades de resolvê-los.
Tão logo terminemos o projeto, postaremos melhores imagens em nosso blog no qual explicaremos mais detalhadamente a proposta. Convido você e os demais internautas a acessarem http://meiadoisnove.blogspot.com e enviar comentários que nos ajudem a pensar e agir para a melhoria de nossa querida Belém.
Um abraço e obrigado pela contribuição.
José Bassalo, Flávio Campos e Euler Sizo
MEIA DOIS NOVE ARQUITETURA & CONSULTORIA
Autores do projeto do novo complexo viário do entroncamento

Responder
avatar
ericsiqueira
admin
8:46 PM ×

Excelente idéia,estava estudando uma saída para o problema do entroncamento, gostei muito do projeto.Vou divulgar no meu blog. ericsiq.blogspot.com

Responder
avatar
Anônimo
admin
3:08 PM ×

Acredito que sem a João Paulo II prolongada até Marituba ou pelo menos até ao viaduto do coqueiro, pouco resolverá mais dois elevados no entroncamento, sem contar os anos que serão necessários para concluir mais esta obra. Fico imaginando como são parasitas os nossos governantes, que primeiro pensam no que podem ganhar com qualquer obra em Belém, seja ganho financeiro como ganho eleitoreiro, para depois executar um benefício para o povo. A única esperança que tenho é de um dia o nosso povo acordar e deixar de votar, é isso mesmo, deixar de votar num sistema de administração falido. Lembro que nesta região do entroncamento existem milhares de familias que não dispõe de nenhum tipo de lazer, não tem uma praça onde se possa passear com a familia, não quadra de esportes, não tem brinquedos para as crianças ou mesmo as academias ao ar livre. Enfim, enquanto isso aquela girafa branca chamada "monumento à Cabanagem" segue amontoando viciados e mosquitos da dengue.

José Antonio Nascimento

Responder
avatar
Anônimo
admin
3:21 PM ×

Após ler explicação dos autores do "novo" projeto viário do entroncamento, sobre o acesso dos veículo que vem da Alm. Barroso para a Pedro A. Cabral, fiquei mais preocupado. Vai se instalar um semaforo no referido retorno ? Pois o transito é intenso nesta área da Aug. Montenegro, sem contar que coincide com uma para da de todo tipo de veículo de transorte de pessoas e de carga. Dependo do tempo que este semaforo levar para abrir e fechar, vai gerar congestionamento em um dos dois lados. E o tal do corredor dos ônibus articulados que será feito no canteiro central, Como ficará ? Alguém aí tem uma explicação ?

José Antonio Nascimento

Responder
avatar
Anônimo
admin
5:38 PM ×

Me pergunto porque essa obra que é tão grande começo bem no ano de eleição.Fora que eu não consigo acreditar que o BRT irá passar naquele trecho da rotátória até a curva que fica enfrente do posto de saúde da maranbaia,onde lá é muito estreito.

Responder
avatar
Anônimo
admin
1:27 PM ×

Quem esta na Av.Augusto Monte Negro, no trecho do Conj. Cohab próx. centro quato sentido entroncamento não tem opção de retorno é o brigado a utilizar os elevados.

Responder
avatar
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário