Vale acelera Siderurgica em Marabá. Mercado deve explodir

Foi por causa de pressões do Presidente Lula e do Governo do Pará, um estado naturalmente produtor de minério, mas pouco transformador dessa riquesa, que a vale anunciou a Alpa em 2009.

Isso é passado. Acertados os ponteiros, a Siderurgica de Marabá é a nova menina dos olho na maior mineradora de ferro do mundo.

A usina terá uma instalação para produzir 2,5 milhões de toneladas de placas e também uma pequena linha de galvanização de 150 mil toneladas ao ano.

Boa parte das placas fabricadas na Alpa, 750 mil toneladas, vão ser consumidas pela laminação da própria usina. Os restantes 1,85 milhão de toneladas serão exportadas para a Califórnia Steel, laminadora americana com controle compartilhado entre a Vale e a japonesa JFE Steel.

Esse é um sinal para o mercado imobiliário. Um emprrendimento tão grande vai atrair trabalhadores de bom poder aquisitivo que vão precisar de casasa para morar. Além disso, as grande fazendas no entorno de Marabá devem ser disputadas pelas dezeneas de industrias que vem na esteira da Alpa.
O mercado no sul do Pará vai explodir nos próximos 5 anos. Uma valorização nem de longe comparada com a que passou a capital nos últimos 10 anos. Hoje de investir. Hora de comprar.

Comentários

Anônimo disse…
gotaria de saber de vc quando o minerio acabar,o rio estiver poluido,a cidade q ja tem um numero de crimes alto,dobrar,e aqueles q vieram atraidos pelo dinheiro ja tiver sugado tudo possivel for embora como fica a populaçao de maraba qcuja maioria ñ tem estudo nem fonte de renda. Qual é o final?
Anônimo disse…
gotaria de saber de vc quando o minerio acabar,o rio estiver poluido,a cidade q ja tem um numero de crimes alto,dobrar,e aqueles q vieram atraidos pelo dinheiro ja tiver sugado tudo possivel for embora como fica a populaçao de maraba qcuja maioria ñ tem estudo nem fonte de renda. Qual é o final?
Anônimo disse…
Você tem noção de quanto minério existe em Carajás?
Um empreendimento deste porte não é feito para 'ser jogado fora', amigo.
O problema que pode acontecer: os chineses começarem a ofertar grandes quantias de aço.
Mas, se isso acontecer, afetará todas as produtoras de aço (do mundo!).
A produção de aço em Marabá é uma solução e não um problema... e, olha, eu moro 3.000 km de Marabá...
produzir minério apenas é que me parece um problema... embora eu gostaria de ter esse problema...