Águas Claras é novo Eldorado imobiliário

A apenas 20 quilômetros da Capital Federal, Águas Claras é o novo Eldorado da construção civil. Sem restrições regulatórias rígidas, como Brasília, tornou-se paraíso para empreiteiras.

O preço do metro quadrado quintuplicou em seis anos - varia entre R$ 4,5 mil e R$ 5,5 mil no residencial e chega a R$ 6,5 mil no comercial - e a expectativa é que ainda tenha espaço para subir mais.

No começo da cidade, a terra custava tão pouco que era mais barato comprar um terreno maior e fazer um estacionamento aberto do que construir garagens subterrâneas. Hoje, os prédios novos costumam ter até três subsolos.

Nos últimos anos, Águas Claras se auto-intitulou o maior canteiro de obras da América Latina - ou, para quem prefere uma dose adicional de charme, a Abu Dhabi brasileira.

Sem números comparativos, o que se pode afirmar, de fato, é que nenhuma outra cidade brasileira foi erguida tão rapidamente. Em 2004, não havia mais do que 80 prédios em Águas Claras. Hoje, são cerca de 600 edifícios prontos e quase 200 em construção. A cidade é empoeirada e barulhenta de tanta obra.

A expansão de Águas Claras está diretamente ligada ao contexto imobiliário de Brasília. O preço do metro quadrado dentro do Plano Piloto é o mais caro do Brasil.

O Setor Noroeste, que começou a ser licitado no ano passado após mais de vinte anos sem novas construções no Distrito Federal, teve um terreno de mil metros quadrados vendido por R$ 22 milhões.

O preço final dos apartamentos está sendo comercializado entre R$ 8 mil e R$ 12 mil o metro quadrado. "Hoje o preço de Águas Claras está cerca de 50% abaixo do Plano Piloto. Vai ficar, no máximo, 30%", diz um diretor da área imobiliária.

Fonte: Valor On Line


Comentários