Governo desapropria pela João Paulo 2 e cria linha rápida de ônibus

O decreto foi assinado no encerramento do Fórum de Transporte da Região Metropolitana de Belém e prevê a desapropriação de imóveis e benfeitorias nas áreas onde serão feitas as obras de prolongamento da avenida João Paulo II.

O projeto João Paulo II é a porta de entrada para um sistema integrado de transporte com a criação de linhas rápidas de ônibus ligando a Grande Belém. O consórcio teria a responsabilidade de licitar e operar, em conjunto com as empresas, o transporte de passageiros em toda a Região Metropolitana, assumindo uma responsabilidade que hoje é dos municípios.

Em Curitiba, a criação do consórcio foi precedida pela reorganização das linhas, adotando um sistema de corredores troncais, com a circulação exclusiva para ônibus biarticulados, e linhas alimentadoras, capazes de fazer a ligação entre os bairros e as estações de passageiros.

No projeto de Belém, estão previstas inicialmente a criação de três linhas troncais, na avenida Almirante Barroso, na rodovia BR-316 e na rodovia Augusto Montenegro. A primeira que deve começar a ser construída é a da Augusto Montenegro

Comentários