Mercado: Paralisação do BRT aumenta crise na "Nova Belém"


Quando o prefeito foi a Tv para anunciar que a prefeitura estava sem dinheiro e que provavelmente não deve ser concluída até o final do mandato, acabou condenando o que poderia se consolidar como a principal área de expansão de Belém a dias amargos. 

Considerando que a crise já vinha provocando muitas feridas, não só com a redução de vendas, mas também com a devolução de unidades que não conseguiram ser financiadas pelos compradores, o stress permanente de quem vive na região ajudou a da uma pitada salgada no mercado imobiliário.

A dificuldade de acesso e a demora no trânsito eram tudo que os moradores não precisavam, considerando que, mesmo sem esta 'ajuda', chegar ao centro já não era tarefa fácil.   

As grande empresas nacionais que chegaram aqui na esteira do 'boom', e foram também responsáveis, pela elevação incomum dos preços abortaram projetos no todo ou pela metade. E muito do que conseguiu ser entregue, ainda busca um dono. 

Condomínios de casas como Greenville e Montenegro Boulevard, perderam espeço na preferência da Classe A/B, e a consequência desta menor procura é baixar o preço para tentar seguir fazendo negócios. 

A obra que poderia segurar a 'Nova Belém' na crise, pela facilidade de acesso, acabou enterrando sonhos.      

Comentários