Mercado: Prédios de luxo têm solo contaminado

Dois condomínios de luxo entregues recentemente pela construtora Gafisa, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, têm o solo e a água contaminados por metais pesados, segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).
Os moradores do Nova Petrópolis Prime Life e do Mansão Imperial, cujos apartamentos são avaliados em R$ 1 milhão, em média, não sabiam de nada até fevereiro – os prédios ficaram prontos, respectivamente, em julho e dezembro de 2011. Quase todas as unidades foram vendidas.
O terreno, entre as Avenidas Pery Ronchetti e Wallace Simonsen, delimitado pelas Ruas Princesa Maria Amélia e Princesa Francisca, em Nova Petrópolis, é de uma antiga área industrial da Companhia Brasileira de Plástico Monsanto. No local foram construídas cinco torres de mais de 20 andares cada, divididas em dois condomínios com cerca de 500 apartamentos.
Dois laudos técnicos já foram feitos e um terceiro está em fase de elaboração. Não há ainda um estudo conclusivo sobre os detalhes da contaminação, mas a Cetesb afirma que, em princípio, não há risco à saúde dos moradores ou de explosão.

Leia mais

Comentários