Nichos: Brasileiros investem em segunda casa no exterior

Como costuma viajar muito para Miami, a publicitária Sara Rozemberg Tastaldi acabou percebendo que adquirir um imóvel por lá era uma questão de custo/benefício.

"Fui pensando em um quarto e sala para investir e acabei comprando um apartamento com três suítes", diz Sara, que arrematou seus 178 metros quadrados por um terço do valor que pagaria por um imóvel equivalente na zona sul de São Paulo. "E a cozinha veio equipada com forno elétrico, cooktop, geladeira com freezer, lava louças."

Geralmente, quem compra imóveis no exterior tanto para passar temporadas quanto para investir opta por aplicar de 20 a 30% do valor da compra, financiando o resto a longo prazo -e entrega o imóvel a uma administradora para locação, segundo o Conselho Federal de Corretores de Imóveis.

Leia mais

Comentários