Urbanidades : Torre Solar deve virar mais um símbolo do Rio

Uma empresa suíça elaborou um projeto ousado para o Rio de Janeiro, nas Olimpíadas de 2016.  Tudo isso vai ser iluminado com luz solar, gerando uma movimentação d'água como se fosse uma cachoeira.

Será edificada na entrada da Baia da Guanabara e será mais um ponto turístico do mesmo nível do Cristo Redentor e do Pão de Açúcar.
Trata-se de uma estrutura vertical, localizada na ilha de Cotonduba, na entrada da Baia da Guanabara, que, além de ter a função de torre de observação, se torne num símbolo de boas-vindas para quem chegar ao Rio de Janeiro por via aérea ou marítima, uma vez que esta será a cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2016.

Projectada pelo gabinete RAFAA, sedeado em Zurique, na Suíça, e denominada «Solar City Tower», esta estrutura foi escolhida como a resposta adequada à proposta inicial e tem a potencialidade de gerar energia suficiente não só para a aldeia olímpica, como para parte da cidade do Rio.

A sua concepção permite-lhe aproveitar a energia solar diurna através de painés localizados ao nível do solo, ao mesmo tempo que a energia excessiva produzida é canalizada para bombear água do mar pelo interior da torre, produzindo um efeito de queda de água no exterior. Esta água é simultaneamente reaproveitada através de turbinas com o objectivo de produzir energia durante o período noturno.
A Solar City Tower engloba ainda outras funcionalidades. Anfiteatro, auditório, cafeteria e lojas são acessíveis no piso térreo, a partir do qual se chega igualmente ao elevador público que conduzirá os visitantes a vários observatórios, assim como a uma plataforma retrátil para a prática de bungee jumping.
No cimo da torre é possível apreciar toda a paisagem que circunda a ilha onde estará implementada, bem como a queda de água gerada por todo o sistema que integra a Solar City Tower, tornando-a num ponto de referência dos Jogos Olímpicos de 2016 e da cidade do Rio de Janeiro.

Conheça mais sobre o projeto aqui

Comentários

Ivo Filho disse…
Bom,até onde eu sei esse projeto é bem antigo, e foi elaborado bem antes da escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016. Projeto de muito mal gosto, diga-se de passagem. Se fosse uma construção para alguma cidade dos Emirados Árabes até que poderia ser interessante, mas construir um paredão desses em um cenário privilegiado justamente pelas características naturais parece um contra-senso.