Mercado: o Rio, preços se guiam pelo mar

No Rio de Janeiro, o tradicional sonho da casa própria em geral vem acompanhado de um desejo que tem contribuído, e muito, para a disparada dos preços em determinadas regiões: "Todo mundo quer morar perto das praias da zona sul, mas isso hoje é muito difícil", resume o  vice-presidente da Ademi-RJ.
Segundo ele, a valorização vista em bairros como Botafogo, Flamengo e Laranjeiras, por exemplo, ocorreu justamente porque são regiões próximas à zona sul e que concentraram lançamentos. Agora, no entanto, eles já começam a ficar escassos nesses bairros - e o preço, naturalmente, vem subindo. "Os compradores dessas regiões são pessoas com um bom nível de renda, mas que não encontram ofertas no Leblon, Ipanema, Lagoa ou na Gávea", explica.


No caso da Barra, o pico de valorização acontecerá às vésperas da Olimpíada de 2016, pois o bairro concentrará 40% das modalidades dos Jogos. Ele destaca, porém, que na orla os preços dos imóveis já explodiram. Nos apartamentos de frente para o mar, por exemplo, o m2 alcança facilmente R$ 16 mil, ante uma média de R$ 6,5 mil no bairro.

Fonte: Valor Econômico

Comentários