Novo índice imobiliário não é capaz de constatar bolha, diz FGV

O novo índice criado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) para mensurar a rentabilidade dos imóveis comerciais no país ainda não poderá auxiliar o mercado a identificar ou prever uma situação de bolha.

A dúvida já levantada por alguns especialistas é : Dá pra controlar os expeculadores que aumentam artificialmente valores sem motivo real, ou pode servir para elevar ainda mais, os preços em regiões mais baratas, regulando o mercado pelo teto.

A questão é que a utilização do Índice, se não bem trabalhada, pode também ser um tiro no pé.

Por enquanto, o IBGE afirma que se trata apenas de um estudo de caso, para análise sobre se o índice seria viável.

leia mais aqui



Isso porque o Índice Geral do Mercado Imobiliário Comercial (IGMI-C), lançado hoje, não possui em sua série histórica, iniciada em 2000, cenários anteriores de sobrevalorização do valor dos imóveis no país para comparação.

"Pode estar acontecendo [uma bolha imobiliária] ou pode não estar acontecendo", afirma o representante do Instituto. .
 
Depois do lançamento do IGMI-C, vem ai um índice mais amplo para medir toda  valorização do mercado.

Comentários

Anônimo disse…
O índice não constatou bolha, mas o bolso de todos os brasileiros já identificou a bolha. por um motivo muito simples: os apartamentos estão muito mais caros.
E quando o financiamento acabar, por volta de 2014, 2015, quero ver quem vai ter dinheiro para comprar.