A invasão dos quintais

A ausência de áreas disponíveis e o preço dos terrenos nos principais bairros da capital paraense tempromovido um movimento interessante. Usar imóveis que estão tombados pelo patrimônio.

Explica-se. Aproveita-se a parte conservada para áreas comuns com estilo e usa-se os quintais para a construção da torre. Para isso, é claro, é preciso ter um acesso livre para as garagens.

O modelo foi testado com sucesso Pela Leal Moreira em Nazaré, pela Real, em Batista Campos, pela Marroquim em São Brás e agora deve ser mais uma vez usado pela Urbana, que tem produto similar na Serzedelo. 

O foco são casas ao lado do imóvel onde viveu o ex-prefeito Lopo de Castro, hoje agência bancária. A idéia seria aproveitar o acesso do estacionamento da agência que dá justamente nos quintais para chegar as garagens e deixar a frente, com glamour, pelos preservados casarões. 

É o mercado dando um jeito para driblar os problemas da overdose de lançamentos que fez os preços dispararem e os terrenos sumirem de Belém.   

Comentários